♪♪ = Robo Maestro?

. domingo, 27 de abril de 2008
12 comentários

Notícia interessante para aqueles músicos que costumam não "se fechar" com o maestro. Esses estão "torcendo" para que a novidade dê certo.

ASIMO SERÁ MAESTRO DA ORQUESTRA SINFÔNICA DE DETROIT

Apresentação do humanóide da Honda será em maio

O robô da Honda, ASIMO (Advanced Step in Innovative Mobility), será a grande estrela em uma apresentação da Orquestra Sinfônica de Detroit (Detroit Symphony Orchestra - DSO), aclamado programa de educação musical que tem a participação de jovens da cidade. O humanóide conduzirá os músicos no concerto intitulado "Impossible Dream" (Sonho Impossível, em tradução literal), que inclusive terá a presença do renomado violoncelista Yo-Yo Ma.

A performance ocorrerá no próximo dia 13 de maio e tem como objetivo chamar a atenção para a importância desse programa de inclusão social para crianças e jovens de Detroit, cidade norte-americana conhecida internacionalmente por abrigar os principais fabricantes de automóvel do mundo.

No dia seguinte (14/05), o ASIMO demonstrará suas habilidades para estudantes de diversas escolas locais e de Windsor (Canadá) que participarão de um workshop com o músico Yo-Yo Ma.

Recentemente a Honda anunciou a doação de US$ 1 milhão à Orquestra Sinfônica de Detroit para a criação do fundo educacional para a música "The Power of Dreams". O projeto será realizado em parceria com as escolas públicas de Detroit que tiveram nos últimos anos de reduzir drasticamente, ou até eliminar, programas que davam a oportunidade para que jovens e crianças aprendessem a tocar algum instrumento musical, estudassem música e participassem de bandas ou orquestras.Além do auxílio financeiro, a Honda também desenvolverá juntamente com a DSO um inovador e diversificado programa para promover e dar suporte à educação musical em Detroit.

Espero que desta vez ele não caia da escada, pois em 2006 a Honda faz uma apresentação do robô Asimo subindo uma escada, tudo parece estar indo muito bem, e de repente, o Asimo leva o maior tombo! E mais engraçada ainda é a reação dos funcionários da Honda.

Essa é a foto do Segundo Asimo (este não caiu da escada).

Fonte: Maxpress Net, Terra, Digital Drops.

Mais informações em http://asimo.honda.com/.

♪♪ = Carmina Burana

. sábado, 26 de abril de 2008
2 comentários

Hoje a noite, as 19h, estarei indo assistir a Cantata Carmina Burana no Teatro do Sesi em Porto Alegre. Com sacrifício, consegui ingressos para estudante por apenas R$ 2,00, visto que ingresso normais estão R$ 50,00 e R$ 60,00.

Abaixo algumas informações sobre o Concerto.


Concertos SESI
Carmina Burana abre temporada Dia 27 de Abril - Domingo às 19h no Teatro do SESI

A temporada 2008 dos Concertos Sesi inicia em grande estilo no próximo dia 27. Carmina Burana – Cantata Profana de Carl Off abre a temporada do projeto promovido pelo Sistema FIERGS, através do Sesi-RS.
A primeira apresentação terá a regência de Manfredo Schmiedt e participação do Coro Adulto da Ospa, Coral da UFRGS e Coro Infantil Prelúdio da UFRGS , mais as pianistas Olinda Alessandrini e Cristina Capparelli e os solistas Luisa Kurtz, Carlos Rodriguez e Eduardo Bighelini.
Carmina Burana é uma das mais antigas coletâneas de canções medievais. Descoberta por volta de 1800, os poemas foram escritos quinhentos anos antes, contendo ainda letra e música de dois séculos anteriores. No pergaminho encontrado havia 200 canções, e a primeira edição veio a público somente em 1847. Carl Orff, compositor alemão nascido em Munique em 1895, dedicava-se ao ensino – em especial à musicalização de crianças e jovens. Selecionou várias dessas canções e intitulou como Cantata Profana, resgatando a herança dos primitivos trovadores. Como compositor, buscou a simplicidade e a comunicação imediata entre a música e seu público. Sua mais famosa obra é Carmina Burana, que estreiou em 1937, na cidade de Frankfurt, e logo se tornou conhecida por sua linguagem direta às camadas populares.
A versão que será apresentada no dia 27 é original do próprio compositor. Em Carmina Burana o ritmo desempenha papel fundamental, criando a atmosfera de cada situação. As melodias acompanham as linhas de verso dos poemas, com repetições progressivas em intensidade. As passagens líricas são envolventes árias operísticas e a escritura coral é predominantemente declamatória. Os pianos e a percussão são tratados de forma ampla, em geral reforçando os coros. A dança, incluída nesta versão, reforça o drama inerente à obra, acentua a empatia entre música e público, projetando assim a intensidade mágica dos “Poemas de Beuren”, ou “Carmina Burana”.

Em maio, a Orquestra Sttugart Kammer, da Alemanha, faz apresentação no Dia da Indústria – e também aniversário do Teatro do Sesi, dia 25.

Se você não tem a mínima idéia do que é a obra em questão, assista o vídeo para parte mais conhecida, "Oh Fortuna". Com certeza você já escutou um trecho dessa peça. É imperdível


Veja umas das várias cenas que este trecho da música serviu como trilha sonora. Essa é de Final scene " King Arthur's Death" de Excalibur (1981). A trilha é perfeita nesta cena de preparação para a batalha.


Veja o que a crítica falou sobre o espetáculo:

Aplausos à qualidade!


Um filme! E daqueles clássicos, seriamente candidato ao universo cult movie. Essa é a tradução exata do megaespetáculo Carmina Burana, apresentado em 27 de abril na abertura da temporada 2008 da série Concertos SESI, em Porto Alegre.

Com coordenação geral e todo o profissionalismo e sensibilidade da multifacetada Olinda Allessandrini, o espetáculo cênico-musical deveria com certeza entrar em temporada de pelo menos um mês, embora saibamos que se trata de complexa montagem. Lauro Schirmer, sábio e incomum conhecedor da música mundial têm toda a razão em afirmar que este é um dos melhores espetáculos apresentados nos últimos na Capital gaúcha (comentário feito pelo jornalista em 2006, na primeira montagem).

A cantata profana Carmina Burana, apresentada no Teatro do SESI, é versão original do compositor e universal educador alemão Carl Orff (1895-1982), apenas substituindo a orquestra pela percussão. Os poemas são originais de 1300 (com letra e música de dois séculos anteriores), e descobertos mais de quinhentos anos depois na Baviera. Orff selecionou vários destes poemas escritos por monges e viajantes, criando então esta cantata profana considerada em todo o mundo como uma das mais fascinantes coletâneas populares medievais. Misto de encantamento, misticismo, generosidade e emoção, a obra representa ainda o romantismo, a sedução e a valorização do sentimento de amar.

Composição essencialmente coral, valorizou gloriosamente uma arte infelizmente pouco focada pela grande imprensa gaúcha - embora famosa em todo o país. Estiveram majestosas as interpretações do Coro Sinfônico da OSPA e Coral da UFRGS... E encantadoras as cinqüenta e quatro promissoras vozes do Coro Infantil Prelúdio da UFRGS. A qualidade vocal nessa audição, como disse antes, é cinematográfica! Que sirva de exemplo este gigantismo, para que mais valor seja dado à merecida tradição coral em todo o Estado.

A energia motriz espargida pelos bailarinos, na erudita concepção de Victória Milanez, foi espetacularmente incorporada de beleza, técnica e arte raramente vistas. A sensualidade dos movimentos com a harmonização sonora, embevecia os olhares – e os pensamentos. ...E, ao contrário do choque que poderia gerar em alguns desavisados, surpreendiam- se com a lascívia extraordinariamente somada à virtuosidade musical de Olinda Allessandrini e Cristina Capparelli – pianistas brilhantes e emocionantes –, sintonizadas com os percussionistas da OSPA! Manfredo Schmiedt, como sempre, comprovou a magnitude de seu talento à Música e o carinho eterno de incontável legião de admiradores. É mesmo um maestro do mundo!

Aplausos especiais aos solistas vocais! Carlos Rodriguez, ainda que tímido na primeira parte resgatou, em tempo, brilho e habilidade operística. Hilária e surpreendentemente cênica, foi a especial presença do experiente e elogiado Eduardo Bighelini. E, numa interpretação cálida (bastante explícita nas entrelinhas de toda essa linda obra poética), ao mesmo tempo cândida, tivemos a beleza e o timbre de Luísa Kurtz. Os figurinos de Joice Bertoletti tinham nobreza, sem perturbar a mobilidade do elenco.

Pena que Carl Orff, sabidamente genial e longevo, não tenha visto – pelo menos nesse plano! – tamanha visceralidade e requinte nesta interpretação de sua universal Carmina.

Congratulações também à produção e técnica que, mesmo com irregular distribuição dos programas e algumas falhas na iluminação cênica, foram elogiadamente profissionais para um teatro superlotado. Inclusive justificando os dez minutos de atraso, tempo que acabou dando charme extra ao vultoso evento... Traduzido pela platéia como tempero para uma grande receita, que logo seria saboreada solenemente!

Definitivamente, a homogeneidade proposta entre o medieval e o contemporâneo nesse espetáculo, foi precisa e extraordinária. Milhões de aplausos à iniciativa! Milhões de orações para que o empresariado tenha assistido e, assim, invista ainda mais em espetáculos dessa grandeza! Porto Alegre merece!

Rodrigo Cardoso
Produtor Cultural
Porto Alegre RS.

♪♪ = Música e Imagem?

. sexta-feira, 25 de abril de 2008
0 comentários

Addictive TV, ou quando a imagem vira música
Dupla inglesa que sampleia cenas de filmes e faz um casamento de imagens com som toca hoje em São Paulo, no Espaço das Américas, na Barra Funda.

Um dos melhores sets do ano passado no festival Skol Beats, a dupla inglesa Addictive TV está de volta ao Brasil. Tocam hoje no evento Sky Live Multimídia, mas esse conceito de ''tocar'' talvez não seja suficiente para definir o que faz essa inteligente dupla britânica.

O negócio é mais ou menos assim: o duo faz uso simultâneo de samples de música e de filmes, misturando O Gordo e o Magro com Cidade de Deus e Pulp Fiction. Seria apenas um efeito, mas é mais: sua peculiaridade está em emprestar um sentido novo aos comentários audiovisuais que faz. É eletrônica inteligente, sarcástica. Ao falarem de futebol, por exemplo, misturam imagens da rainha da Inglaterra entregando a Copa do Mundo aos ingleses; um juiz apitando infinitamente; e Pelé cartolando, de gravata.

Nada é de graça. ''As músicas são parte das imagens, e as imagens são parte das músicas'', disse ontem por telefone ao Estado Graham Daniels (que forma o Addictive TV com Peter Tolly), nas primeiras horas da manhã, logo após fazer o check-in num hotel de São Paulo. ''Nós fazemos nossa própria música, então tem uma diferença também do universo dos DJs.''

O que faz com que a concatenação entre imagens e música seja tão convincente decorre do seguinte: os rapazes do Addictive TV pegam os sons de um filme (uma porta batendo, diálogos, tiros, uma perseguição de carros) e criam música com esses sons, o que faz com que o que se vê no seu telão seja análogo àquilo que passa na tela - o timing é ajustado nos laptops. São muito hábeis: seus sets já foram comparados à arte de videoartistas de peso, como Bill Viola.

Daniels disse que nunca tiveram problemas com ações judiciais por ''chuparem'' imagens de filmes. ''Hollywood considera que é bom para a promoção do filme.'' Ele acredita que a indústria ''está se dando conta'' que não consegue impedir a circulação desse tipo de informação. Tanto se deu conta que, no ano passado, a New Line Cinema contratou o Addictive TV para fazer um remix audiovisual para o filme Take the Lead, com Antonio Banderas.

"A natureza do nosso trabalho é diferente, não enquadrável em esquemas de selos e gravadoras. Acho que o futuro da música está-se tornando cada vez mais audiovisual, cada vez mais uma conjugação de som e imagem, com os websites, os sites de divulgação musical. O artista da música tem-se tornando mais hábil na condução dessa nova exigência. Nós nos sentimos muito confortáveis porque estamos produzindo música com imagens há mais de 10 anos - antes mesmo disso, eu já trabalhava com produção de vídeos.'' Um das imagens que fazem mais sucesso no set do Addictive TV no Brasil é uma cena do filme Cidade de Deus, que Daniels julga ''brilhante''. ''Talvez da próxima vez a gente apareça com um sample de Tropa de Elite.''

Fonte Estadão - matéria escrita porJotabê Medeiros.

Assisti o primeiro trabalho do Addictive TV nos extras do DVD do filme Dança Comigo. Assista o vídeo abaixo com o remix da banda.



Excelente remix para Clive Owen.

♪♪ = Cifras

. terça-feira, 22 de abril de 2008
0 comentários

Em breve cifras aqui no site.



♪♪ = Música e Decibéis

. segunda-feira, 21 de abril de 2008
3 comentários

Um assunto que não é novidade mas que muitos o ignoram.

Ouvir rock “nas alturas”, ligar o som do carro para exibir as potentes caixas acústicas, passar o dia entretido com as músicas do Ipod e MP3 com os fones enfiados nos ouvidos, ficar grudado no trio elétrico. A mania de escutar canções, explorando ao máximo a capacidade de reprodução dos aparelhos eletrônicos pode trazer prejuízos irreparáveis. A surdez é provocada pela elevação do nível de pressão sonora, que resulta na destruição irreversível da célula responsável por levar o impulso sonoro ao cérebro.

A depender do tipo de ruído e da quantidade de horas de exposição, os primeiros sintomas do comprometimento da audição são percebidos pela necessidade de se ouvir televisão com volume cada vez mais alto e da dificuldade de compreensão em conversas ao telefone. A perda auditiva varia de organismo para organismo. Nos jovens, os prejuízos são difíceis de se identificar. A falta de consciência sobre o risco de ficar surdo, na maioria das vezes, é ignorado.

A fonoaudióloga Mireli Protásio Lisboa explica que quando o som é ambiente não agride tanto os ouvidos quanto os head phones. Mesmo assim, a especialista faz um alerta aos amantes de som alto no carro, já que explorar a potência máxima representa sérios riscos. “O fone fica dentro da orelha e reproduz o som diretamente no ouvido. Pode-se até utilizar o equipamento, mas o volume da música deve estar em intensidade mediana”, orienta. O ideal é que o tempo de exposição seja pequeno.
Mas os aparelhos eletrônicos, que ficam em contato direto ou quase direto com os ouvidos, não são os únicos a danificarem a audição. Os bares, casas de shows e boates também propiciam a perda do sentido. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o ouvido humano tem tolerância de exposição ao som alto até 85 decibéis, durante oito horas por dia. Mas, se o volume superar a contagem, deve-se diminuir o tempo de exposição.

O professor e fonoaudiólogo Rodrigo Brayner afirma que existem dois tipos de ruído: ocupacional e social. O primeiro, encontrado nos ambientes de trabalho, são os mais prejudiciais. Ainda assim existe o risco da perda de audição por conta dos fones de ouvido e os locais que reproduzem música. Os bares, boates, shows e principalmente o Carnaval “são insalubres para a saúde auditiva”, acrescenta. O ambiente mais prejudicial é o Carnaval, os demais apresentam menor risco

EXAME
É POSSÍVEL detectar a surdez através do exame de audiometria. O procedimento quantifica a audição do paciente. Já é caracterizado o comprometimento auditivo quando a pessoa só ouve a partir de 25 decibéis. A intensidade em que o tom é ouvido é identificada a partir da reprodução de tons diferentes em freqüências graves e agudas.

ALTERAÇÃO
A PERDA auditiva é neuro-sensorial, ou seja, é um tipo de alteração que envolve a orelha interna. Acomete, normalmente, os dois ouvidos. O comprometimento da audição acontece aos poucos. Começa na região das freqüências agudas e dificulta a capacidade de entender a fala.

Reportagem de Maíra Portela para o Correio da Bahia.

♪♪ = Minha música na web??

. domingo, 13 de abril de 2008
3 comentários

Numa conversa entre amigos verifiquei que muitos ainda não conhecem sites de hospedagem de música. Quando se fala em "colocar meu vídeo na net" muitos já pensam no youtube, mas, para minha surpresa, alguns não sabem como colocar sua música da web.

Existem sites cujo objetivo é hospedar músicas. Um amigo meu, violonista auto-ditada, trombonista da Clarins de Sião Orchestra e regente de coral, fez gravações caseiras em seu computador pessoal e fez "upload" de alguns músicas clássicas no mp3tube e em 10 dias sua música foi escutada por mais de 200 pessoas.
Abaixo a gravação que citei com Daniel Garcia ao violão, interpretando o Prelúdio nº 1 do Villa-Lobos.

daniel garcia - preludio 1 de villa lobos


Faça o download desta partitura aqui.

Para você fazer uma gravação simples basta ter em seu PC um microfone instalado e um software de registro e edição de áudio. Remendo a instalação do Sonar ou do Sound Forge se vc já possui alguma experiência com edição de aúdio. Se vc não possui nenhum programa para isso, ou mesmo não sabe como eles funcionam vite o site SonarMusica, além de fazer downloads de programas você poderá aprender muito com os tutoriais e manual que lá estarão disponibilizados.

Comentários sobre maneiras de diponibilizar música na net são bem-vindos.

Se você tiver a gravação de alguma música própria, ou com você tocando qualquer instrumento ou cantando, entre em contato comigo para usar este espaço como divulgação.

♪♪ = História da MPB?

.
1 comentários

Letra e história das musicas mais expressivas da MPB

Clique no nome da música e aguarde por uns instantes enquanto o disco é posto para tocar. Você ouve a música vê a letra e toda a historia da música, compositor e interprete, realmente é pra se guardar ... Músicas brasileira de todos os tempos e pra todos os gostos...
1800 Colinas (1974)
A Banda (1965)
A Loba (2001)
A Miragem (2001)
A Praça (1967)
Agonia (1980)
Ainda lembro (1994)
Alma (1982)
Alma Gêmea (1995)
Amélia (1941)
Andança (1968)
Apelo (1967)
Argumento (1975)
Arrastão (1965)
Baila Comigo (1980)
Bandolins (1979)
Beija eu (1991)
Bem Querer (1998)
Bilhete (1980)
Brasil (1988)
Brigas (1966)
Cama e Mesa (1984)
Caminhando (1968)
Caminhemos (1947)
Carolina (1967)
Castigo (1958)
Chove Chuva (1963)
Cio da Terra (1976)
Conceição (1956)
Conselho (1986)
Dandara (2005)
Desabafo (1979)
Deslizes (1989)
Detalhes (1970)
Dez a Um (1997)
Dindi (1959)
Disparada (1965)
Dois (1997)
E daí (1959)
Epitáfio (2001)
Espanhola (1999)
Eu Sei (2004)
Foi Assim (1977)
Folhas Secas (1973)
Fotografia (1967)
Gabriela (1975)
Gota D'Água (1976)
Hoje (1966)
Iracema (1956)
Judia de Mim (1986)
Lenha (1999)
Loucura (1979)
Madalena (1970)
Marina (1947)
Mas que nada (1963)
Mel na Boca (1985)
Mensagem (1946)
Meu ébano (2005)
Modinha (1968)
Molambo (1953)
Momentos (1983)
Naquela Mesa (1970)
Negue (1960)
Nuvens (1995)
O Barquinho (1961)
O Caderno (1983)
O Surdo (1975)
Oceano (1989)
Ontem (1988)
Os Amantes (1977)
Ouça (1957)
Outra Vez (1977)
Paixão (1981)
Papel Machê (1984)
Paratodos (1993)
Partituras (1995)
Pedacinhos (1983)
Pra Você (1972)
Purpurina (1982)
Recado (1990)
Regra Três (1973)
Ronda (1953)
Saigon (1989)
Samurai (1982)
SE (1992)
Sem Fantasia (1967)
Seu Corpo (1975)
Só Louco (1976)
Sonhos (1994)
Sozinho (1999)
Sufoco (1978)
Ta na Cara (1998)
Tigresa (1977)
To Voltando (1979)
Toada (1979)
Travessia (1967)

Menu

Postagens Recentes

Quem está Online?

Vídeo

Vou sempre colocar aqui algum vídeo musical interessante que eu encontrar no youtube. Esse é o terceiro vídeo que coloco aqui, o The Voca People que estarão aqui em Porto Alegre, direto de Tel Aviv: